Projetos

Aprimoramento do Sistema TRI

 

Processo de aprimoramento contínuo do Sistema de informações de Transporte Rodoviário Internacional de Cargas e Passageiros, visando a desburocratização, a eficiência e a segurança na pesquisa de informações de transportes.

- Enquadramento de Instrumentos: Iniciativas de Melhorias

- Objetivo estratégico associado:

R1 - Garantir níveis elevados de satisfação com o serviço de transportes terrestres regulado.

R2 - Garantir a segurança jurídica, cumprimento de contrato e efetividade da regulação.

OPG2 - Aperfeiçoar processos, normativos e marco regulatório com base em evidências, no uso intensivo de tecnologia da informação e na participação social.

 

🔎 MONITORAMENTO

 

Tabela 1: Etapas definidas

Etapas Prazo Observações
1- Versão mobile do Sistema TRI Janeiro/2021 Atividade concluída
2- Aprimoramento do Sistema Dezembro/2021 Em desenvolvimento. Estão sendo averiguados os documentos existentes, inseridos os que faltam e avaliada a acessibilidade no sistema junto ao público externo. Possíveis melhorias, se necessárias, serão analisadas para o aprimoramento do sistema

 

 

Desenvolvimento do Webservice de cargas e de passageiros

 

O presente projeto visa o desenvolvimento de uma plataforma comum webservice entre os países do Mercosul, objetivando cada vez mais uma maior desburocratização e segurança do processo de emissão de licenças no que tange ao transporte rodoviário internacional de passageiros e de cargas.

O projeto foi ajustado em comum acordo com os países do Mercosul e será desenvolvido de forma bilateral.

- Enquadramento de Instrumentos:

Plano de Gestão Anual - PGA e Iniciativas de Melhorias

- Objetivo estratégico associado:

R1 - Garantir níveis elevados de satisfação com o serviço de transportes terrestres regulado.

R2 - Garantir a segurança jurídica, cumprimento de contrato e efetividade da regulação.

OPG2 - Aperfeiçoar processos, normativos e marco regulatório com base em evidências, no uso intensivo de tecnologia da informação e na participação social.

Áreas envolvidas: Apoio e participação da SUTEC (Informática), SUROC (Cargas) e SUPAS (Passageiros)

 

🔎 MONITORAMENTO

 

Tabela 1: Etapas a serem seguidas para a troca de informações de transporte rodoviário de cargas com o Paraguai:

Etapas Prazo Observações
1 - Construir a arquitetura do sistema Janeiro/2021 Estão sendo realizados ajustes no sistema
2 - Fazer testes de cargas e funcionalidade no sistema Janeiro/2021 Estão sendo realizados ajustes no sistema
3 - Disponibilizar em produção Fevereiro/2021 Em andamento.

 

Tabela 2: Etapas a serem seguidas para a troca de informações de transporte rodoviário de cargas com o Uruguai. As informações de passageiros também serão incluídas no escopo. Assim, os dados de passageiros serão trabalhados de igual maneira com o Paraguai.

Etapas Prazo Observações
1- Construir a arquitetura do sistema Janeiro/2021 A arquitetura do sistema é a mesma adotada no caso do Paraguai
2 - Homologação do método a ser utilizado para a troca de informações Maio/2021 A arquitetura do sistema é a mesma adotada no caso do Paraguai
3 - Fazer testes de cargas e funcionalidade no sistema Junho/2021 A arquitetura do sistema é a mesma adotada no caso do Paraguai
4 - Disponibilizar em produção Junho/2021 Em andamento

 

Tabela 3: Etapas a serem seguidas para a troca de informações de transporte rodoviário de cargas com a Argentina. As informações de passageiros também serão incluídas no escopo.

Etapas Prazo Observações
1- Construir a arquitetura do sistema Janeiro/2021 A arquitetura do sistema é a mesma adotada no caso do Paraguai
2 - Homologação do método a ser utilizado para a troca de informações Julho/2021 A arquitetura do sistema é a mesma adotada no caso do Paraguai
3 - Fazer testes de cargas e funcionalidade no sistema Agosto/2021 A arquitetura do sistema é a mesma adotada no caso do Paraguai
4 - Disponibilizar em produção Setembro/2021  

 

Tabela 4: Etapas a serem seguidas para a troca de informações de transporte rodoviário de cargas com o Chile. As informações de passageiros também serão incluídas no escopo.

Etapas Prazo Observações
1- Construir a arquitetura do sistema Janeiro/2021 A arquitetura do sistema é a mesma adotada no caso do Paraguai
2 - Homologação do método a ser utilizado para a troca de informações Novembro/2021 A arquitetura do sistema é a mesma adotada no caso do Paraguai
3 - Fazer testes de cargas e funcionalidade no sistema Dezembro/2021 A arquitetura do sistema é a mesma adotada no caso do Paraguai
4 - Disponibilizar em produção Janeiro/2022  

 

Canal Verde Mercosul

 

Fortalecimento de procedimentos fiscalizatórios e padronização de sistemas tecnológicos inteligentes e interoperáveis entre os países do Mercosul para o monitoramento do transporte rodoviário internacional de cargas e passageiros em corredores estratégicos, resultando assim um transporte mais seguro e eficiente.

- Enquadramento de Instrumentos: Plano Estratégico e Plano de Gestão Anual - PGA

- Objetivo estratégico associado:

R1 - Garantir níveis elevados de satisfação com o serviço de transportes terrestres regulado.

R2 - Garantir a segurança jurídica, cumprimento de contrato e efetividade da regulação.

OPG2 - Aperfeiçoar processos, normativos e marco regulatório com base em evidências, no uso intensivo de tecnologia da informação e na participação social.

Áreas envolvidas: Apoio e participação da SUTEC (Informática), SUFIS (Fiscalização), SUROC (Cargas) e SUPAS (Passageiros)

 

🔎 MONITORAMENTO

 

Tabela 1: Etapas definidas

Etapas Prazo Observações
1 - Elaborar tratativas para viabilizar o desenvolvimento do projeto Canal Verde Mercosul Dezembro/2021 Em andamento
2 - Escolher a tecnologia de monitoramento a ser empregada Julho/2022  
3 - Selecionar os corredores e pontos para fazer o monitoramento Dezembro/2022  
4 - Realizar teste piloto no corredor selecionado (campanha de fiscalização educativa) Julho/2023  
5 - Implantar novos pontos e monitorar o sistema desenvolvido de captura de informações nos corredores estratégicos Dezembro/2023  

 

Divulgação de decisões harmonizadas entre países e boas práticas no âmbito do Transporte Rodoviário Internacional

 

A atividade de divulgação interna e externa de diretrizes, ações ou atividades desenvolvidas e acordadas no que tange às atividades de transporte terrestre entre os países, deve ser vista como uma ferramenta importante e eficaz, quando bem planejada.

A ampliação da divulgação do conhecimento relativo às ações e projetos desenvolvidos no âmbito do transporte internacional terrestre, proporcionando uma perspectiva abrangente ao público-alvo sobre o tema, destacando os exemplos de boas práticas e de histórias de sucesso, por meio da publicação de textos com linguagem clara e objetiva.

Assim, a ANTT, em especial a área internacional, por meio de instrumentos existentes (por exemplo: Intranet, Painéis eletrônicos de notícias, Redes Sociais e Portal da própria Agência, Sistema TRI, Fóruns e Reuniões com o setor regulado), busca o aprimoramento da divulgação das ações e atividades desenvolvidas ou acordadas entre os países, garantindo a transparência ativa da ANTT e cada vez mais a participação dos atores da cadeia para o fortalecimento do setor, observando também as diretrizes normativas em vigor de acesso à informação.

Enquadramento de Instrumentos: PGA e Iniciativa de Melhoria

- Objetivo estratégico associado: OPG3 - Garantir a transparência ativa

Áreas envolvidas: Apoio e participação da ASCOM (Comunicações), SUTEC (Informática), SUROC (Cargas), SUPAS (Passageiros) e SUFIS (Fiscalização)

 

🔎 MONITORAMENTO

 

Tabela 1: Etapas definidas

Etapas Observações
1 - Definir as informações a serem publicadas Será feita pelo menos uma publicação semestral sobre as principais decisões harmonizadas internacionalmente e publicações pontuais referentes a demandas para as quais a ASINT é acionada.
2 - Estabelecer as estratégias para a divulgação das decisões e ações harmonizadas entre os países, bem como de projetos ou operações que envolvam boas práticas no Transporte Rodoviário Internacional de cargas ou de passageiros Será feita pelo menos uma publicação semestral sobre as principais decisões harmonizadas internacionalmente e publicações pontuais referentes a demandas para as quais a ASINT é acionada.
3 - Desenvolver programas de sustentação da informação Será feita pelo menos uma publicação semestral sobre as principais decisões harmonizadas internacionalmente e publicações pontuais referentes a demandas para as quais a ASINT é acionada.

 

🌎 PUBLICAÇÕES DISPONÍVEIS

 

✔ ANTT apresenta versão mobile do Sistema TRI

✔ Novidades na página da área de atuação internacional da ANTT

Levantamento, análise e a comparação das normativas do setor de transporte rodoviário internacional de cargas e de passageiros dos países com os quais o Brasil possui acordo de transporte terrestre.

 

✅    Relatórios Comparativos

   

Elaboração de estudos complementares das normativas de transporte rodoviário internacional de cargas e de passageiros dos países da América do Sul, visando à harmonização legislativa no âmbito do ATIT e da CAN

 

✅    Relatórios de Harmonização

 

✅    Caderno de Recomendações Sanitárias

Neste espaço serão publicados todos os estudos internacionais realizados pela ANTT.

Estudos Internacionais